GGirlsBR Entrevista – Marcio Gotland – Greg: O Contador de Histórias

Tivemos a honra de entrevistar Marcio Gotland, ilustrador, quadrinista, professor de artes no ensino regular e autor de “Greg: O Contador de Histórias”, que nos contou sobre o seu processo criativo, inspirações e possíveis futuros nos quadrinhos.


Marcio, quais são as maiores influências literárias que você leva para as suas criações?
Entre os meus preferidos estão Edgar Alan Poe, Lovecraft, Cornwell, Tolkien, Ítalo Calvino, Gabriel Garcia Márquez, Ignácio de Loyola Brandão, Dostoiévski, Umberto Eco, entre outros.

Você desenhou e roteirizou sua própria obra, como surgiu a ideia de criar “Greg: O contador de Histórias”?
Entre 2012 e 2013 eu escrevi uma distopia e um dos personagens é o líder Gregório, um contador de histórias, e apesar de escrever o livro acabei não seguindo em frente com o projeto, porém me apaixonei pelo personagem e pude aproveitar ele e suas histórias em forma de HQ. Assim, surgiu Greg: O Contador de Histórias.

Você está indo pra terceira edição (talvez quarta, do Greg), já tem planos para um novo título?
Sim, tenho plano de fazer um álbum derivado do universo da história contada nos dois primeiros números de Greg: O Contador de Histórias, porém, primeiro preciso concluir a série, que contará com seis números. E tem mais, venho produzindo um álbum para uma editora, não posso falar mais no momento, mas garanto que é coisa boa e será lançado nesse ano.

Você já trabalhou ou participou de outras revistas?
Na fase atual como quadrinista, iniciada em 2013, fiz pequenas participações com HQ e ilustrações em revistas de outros autores como o Pátria Armada: Visões de Guerra, A Samurai, e também tive meu sketchbook publicado pela Criativo Editora, o Marcio R. Gotland Sketchbook Custom.

O que você acha sobre WebComics e as plataformas digitais?
Considero a forma mais importante de publicação para um autor iniciante, pois permite romper barreiras territoriais, alcançando diferentes pessoas, assim o autor poderá construir o seu público por intermédio da web e ter um retorno do seu trabalho antes de publicar algo impresso.

Qual a importância do financiamento coletivo para autores independentes?
Importante não só por possibilitar o financiamento da produção, mas também pelo resultado que se obtém com o processo de divulgação da campanha, que torna o autor e sua obra visível, além disso, com o amadurecimento do financiamento coletivo para quadrinhos no Brasil, o autor precisa, cada vez mais, pensar a qualidade de seu trabalho, pois a exigência do público e a competição no mercado aumentaram.

Indique 3 quadrinhos que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida.
Acredito que Maus de Art Speglman, o manga Gen, Pés Descaços de Keiji Nakazawa e Ao Coração da Tempestade de Will Eisner são essenciais não só como quadrinho, mas como obra de arte, literatura.
Três autores brasileiros que merecem reconhecimento do público e do mercado.
Autores nacionais que eu respeito muito e torço muito são: Victor Moura, Abel e Gabriel Arrais.

E por último, um recado para os novos leitores de quadrinhos e para aqueles que querem fazer uma revista também.
Para os novos leitores de quadrinhos eu aconselho mergulharem fundo nessas ideias que saem da cabeça de seus autores. Tem ideias e temas pra todos os gostos, histórias em quadrinhos são tão vastas como o mercado literário. E aos que querem fazer quadrinhos, querem fazer parte desse mundo, eu aconselho que façam! Façam mesmo, sem medo de ser feliz.